AgriculturaGeral

Cotriel integra pelo segundo ano seguido o Projeto Qualigrãos

0
Compartilhe este post

[vc_row][vc_column width=”1/1″][vc_column_text]

Visando conhecer a qualidade da soja produzida no Rio Grande do Sul e propor as melhorias necessárias, cooperativas e cerealistas do Estado estão participando desde 2014 do projeto Qualigrãos, que conta com a coordenação da Embrapa Soja.

O projeto, que tem a colaboração, no RS, das cooperativas Cotriel, de Espumoso, Cotripal, de Panambi, Cotrijal, de Não-me-Toque, Coagrisol de Soledade e Cotribá de Ibirubá, e conta com a participação dos estados de Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Minas Gerais e Bahia, consiste na avaliação do padrão comercial dos grãos, do dano mecânico causado pela colheita, da identificação da presença de pragas nos grãos armazenados, na contaminação por fungos, na mistura genética das variedades, do teor de proteína e óleo do grão, da acidez do óleo, teor de clorofila, qualidade sensorial e qualidade fisiológica. A coleta de amostras foi feita em 2015 e 2016 após o término da safra e dará uma ideia de indicadores sobre a soja que veio da lavoura e poder compreender possíveis problemas que possam ser registrados durante a armazenagem.

O líder do projeto na Embrapa, Irineu Lorini, que esteve em visita na última semana à Cotriel disse que os resultados de cada região serão conhecidos totalmente em junho, mas que se pode apurar que algumas amostras estão com problemas de qualidade originado por vários fatores de manejo e climáticos.

Sobre a relevância do trabalho, Lorini pontuou que é o primeiro passo para que os estudos se antecipem à uma futura segregação da soja, como já feito com o trigo: “A cada dia que passa, o mercado fica mais exigente, pois quer soja com qualidade e padrão necessários para fazer produtos para países que pagam por um grão diferenciado. Evidente que é importante que a busca da melhoria genética esteja focada na produtividade, mas não muito em breve esta não será a principal questão, pois os importadores irão exigir outros parâmetros do grão”, lembrou o pesquisador.

Na Cotriel, segundo o administrador de grãos da Cooperativa, Odélcio Leopoldo Hartmann, a soja representa 85% de todo o produto que está armazenado.

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

Mais em Agricultura