DestaquesÚtimas Notícias

Ponte cai em Baltimore depois de ser atingida por navio

0
Foto: Brendan Smialowski
Compartilhe este post

Uma ponte da cidade de Baltimore, na costa lesta dos Estados Unidos, desabou nesta terça-feira depois de ser atingida por um navio, o que provocou a queda de até 20 pessoas e vários veículos na água.

A Autoridade de Transporte do estado de Maryland (MTA) informou que uma embarcação de carga colidiu contra a ponte.

Segundo as imagens registradas pelas câmeras de segurança, um porta-contêineres bateu em um pilar da ponte Francis Scott Key, o que provocou a queda de grande parte da estrutura de aço no rio Palapsco.

Também é possível observar luzes, aparentemente de veículos, na ponte antes da deformação da estrutura e do desmoronamento.

“Sabemos que até 20 pessoas podem estar no rio Patapsco neste momento, assim como vários veículos”, disse Kevin Cartwright, do Departamento de Bombeiros de Baltimore, ao canal CNN.

“Acreditamos que veículos e possivelmente um semirreboque caíram na água”, disse Cartwight ao jornal Baltimore Sun. “A ponte inteira desabou”, afirmou.

– “Rezem pelos afetados” –

Uma fonte da polícia de Baltimore já havia declarado ao canal NBC que provavelmente algumas pessoas estavam no rio.

“Posso confirmar que 1h35 (2h35 de Brasília), a polícia da cidade de Baltimore recebeu o alerta de um colapso parcial da ponte Francis Scott Key e que possivelmente há trabalhadores na água”, afirmou a porta-voz Niki Fennoy.

A ponte, de quatro pistas e 2,6 quilômetros de comprimento, atravessa o rio Patapsco, ao sudoeste de Baltimore, uma cidade industrial e portuária na costa atlântica dos Estados Unidos.

A estrutura integra uma rodovia que liga esta cidade à capital, Washington.

O site de monitoramento marítimo MarineTraffic informou que um navio de contêineres com bandeira de Singapura, chamado “Dali”, parou sob a ponte na madrugada de terça-feira.

O prefeito de Baltimore, Brandon Scott, e o secretário do condado de Baltimore, Johnny Olszewski Jr, afirmaram que as autoridades iniciaram os trabalhos de resgate.

“Rezem pelos afetados”, pediu Olszewski na rede social X.

AFP

Mais em Destaques