Conecte-se Conosco

Agricultura

Testes não detectam presença de agrotóxicos na água que abastece Espumoso

Publicado

em

Em publicação feita nesta semana, a Agência de Jornalismo Investigativo (Agência Pública) revelou que 27 agrotóxicos foram encontrados na água de um a cada quatro municípios brasileiros durante análises realizadas entre 2014 e 2017.

O estudo feito em Espumoso não apresentou a presença de nenhum tipo de agrotóxico presente na água que abastece a cidade. De acordo com os dados, a água ingerida pelos espumosense ainda não sofreu nenhum tipo de contaminação pelos agrotóxicos. Porém, Espumoso e Tapera são os únicos dois municípios da região que tem índice 0 de infecção. Dentre os municípios que aparecem na lista, estão Alto Alegre com 14 agrotóxicos encontrados na água, Campos Borges com 7, Soledade com 14 , Fontoura Xavier com 13 sendo 5 deles considerados perigosos, ainda que nenhum acima dos limites estipulados pela legislação, e que são associados a doenças crônicas como câncer, defeitos congênitos e distúrbios endócrinos.

De acordo com a gerente local da Corsan, Ana Gatto, o trabalho de fiscalização e monitoramento da qualidade da água na cidade é constante. “Nós temos uma preocupação muito grande com a fiscalização e monitoramento da qualidade da água que distribuímos para a população, e por isso, temos o compromisso de todos os dias manter o foco na preservação da qualidade da água que é ingerida pelos espumosenses.” explicou Ana.

Os dados são do Ministério da Saúde e foram obtidos e tratados em investigação conjunta da Repórter Brasil, Agência Pública e a organização suíça Public Eye. As informações são parte do Sistema de Informação de Vigilância da Qualidade da Água para Consumo Humano (Sisagua), que reúne os resultados de testes feitos pelas empresas de abastecimento.

Os números revelam que a contaminação da água está aumentando a passos largos e constantes. Em 2014, 75% dos testes detectaram agrotóxicos. Subiu para 84% em 2015 e foi para 88% em 2016, chegando a 92% em 2017. Nesse ritmo, em alguns anos, pode ficar difícil encontrar água sem agrotóxico nas torneiras do país.

Embora se trate de informação pública, os testes não são divulgados de forma compreensível para a população, deixando os brasileiros no escuro sobre os riscos que correm ao beber um copo d’água. Em um esforço conjunto, a Repórter Brasil, a Agência Pública e a organização suíça Public Eye fizeram um mapa interativo com os agrotóxicos encontrados em cada cidade. O mapa revela ainda quais estão acima do limite de segurança de acordo com a lei do Brasil e pela regulação europeia, onde fica a Public Eye.

Saiba o nível de contaminação da sua cidade clicando no link abaixo:
http://portrasdoalimento.info/agrotoxico-na-agua/

Entre os agrotóxicos encontrados em mais de 80% dos testes, há cinco classificados como “prováveis cancerígenos” pela Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos e seis apontados pela União Europeia como causadores de disfunções endócrinas, o que gera diversos problemas à saúde, como a puberdade precoce. Do total de 27 pesticidas na água dos brasileiros, 21 estão proibidos na União Europeia devido aos riscos que oferecem à saúde e ao meio ambiente.

Confira a reportagem completa no link:
https://apublica.org/2019/04/coquetel-c…o-seu/

Com informações do ClicSoledade.

Propaganda
Clique para comentar
Propaganda