DestaquesEstadoGeralPolícia

ALERTA DE GOLPE l Falsas ofertas de emprego no YouTube circulam em Espumoso Um novo golpe envolvendo ofertas de emprego está circulando na região de Espumoso. Esta prática, embora conhecida no Brasil, chegou como novidade na área. O golpe oferece dinheiro para quem seguir canais no YouTube ou curtir vídeos na plataforma. A abordagem é realizada através do WhatsApp, onde os criminosos se passam por representantes de agências renomadas nos segmentos de relações públicas ou criação de conteúdo.

0
Compartilhe este post
Um novo golpe envolvendo ofertas de emprego está circulando na região de Espumoso. Esta prática, embora conhecida no Brasil, chegou como novidade na área. O golpe oferece dinheiro para quem seguir canais no YouTube ou curtir vídeos na plataforma. A abordagem é realizada através do WhatsApp, onde os criminosos se passam por representantes de agências renomadas nos segmentos de relações públicas ou criação de conteúdo.
Os salários oferecidos pelos golpistas são surpreendentemente altos, em troca de uma dedicação mínima. A proposta de emprego é apresentada como uma ótima oportunidade para gerar renda extra. Os valores prometidos variam de R$ 500 a R$ 8.000 por dia, dependendo do tempo que o usuário dedicar às tarefas solicitadas pelo suposto empregador.
Por trás do esquema, estão supostas marcas em busca de maior engajamento. No entanto, essa prática vai contra os termos de uso do YouTube e de outras plataformas ou redes sociais. Diariamente, listas de canais a serem seguidos são compartilhadas em um grupo no Telegram, com os falsos salários sendo pagos via Pix diariamente.
Apesar de ser um golpe conhecido, esta abordagem traz uma nova roupagem e um novo propósito. Os criminosos agora oferecem vagas de emprego diretamente em nome de agências de relações públicas ou criação de conteúdo amplamente conhecidas. Esse golpe surge em um momento em que setores como tecnologia e comunicação passam por ondas de demissões.
O contato, no entanto, não parece estar direcionado exclusivamente a profissionais desses ramos, conforme relatos feitos em redes sociais que reúnem casos e denúncias. As respostas dos golpistas são quase sempre automatizadas, não respondendo diretamente ao que é perguntado pela possível vítima, e insistindo no cadastro e integração ao esquema.
Uma das agências cuja marca foi usada para disseminar as falsas vagas de emprego foi a SMART Group, que atua com relações públicas, comunicação e posicionamento de marca. Segundo a companhia, foram registrados pelo menos 60 contatos feitos em nome da empresa. O grupo no Telegram indicado pelos golpistas chegou a reunir mais de 800 membros, todos reunidos ao longo de uma semana.
Suelen Salmazo, gerente de operações do SMART Group, relata: “Os golpistas ofereceram oportunidade de ganho financeiro em troca de cliques em perfis de redes sociais de marcas populares, usando o nome de empresas conhecidas no mercado para ganharem confiança”. Alguns usuários chegaram a receber entre R$ 10 e R$ 20 antes mesmo de se integrarem ao esquema, como forma de garantir confiança na suposta oferta de trabalho.
Entretanto, os pagamentos cessam logo em seguida, enquanto os perfis continuam sendo compartilhados no grupo para receber mais engajamento. As contas se dividem entre perfis clonados, que simulam a aparência de marcas reais, e contas efetivamente reais, aparentemente um artifício para manter a aparência de legitimidade do esquema.
O principal alvo de ataques a partir de esquemas como este são golpes envolvendo criptomoedas, em que perfis furtados e com aparência de legítimos usam marcas ou celebridades para promover fraudes financeiras. A promessa costuma ser de ganhos financeiros elevados em troca de um pequeno depósito, com transmissões ao vivo no Youtube ou postagens no Twitter promovendo uma suposta entrega de ativos que, na realidade, não existem.
A recomendação é clara: nunca clique em links suspeitos, não acesse códigos enviados através de números no WhatsApp ou SMS. Em caso de dúvida, desconfie!

Mais em Destaques