DestaquesEstadoGeral

Chuvas intensas causam inundações e evacuações no interior do Rio Grande do Sul

0
Compartilhe este post

As fortes chuvas que atingiram o interior do Rio Grande do Sul nesta sexta-feira resultaram em sérios estragos, com inundações e a evacuação de moradores de suas residências. Segundo os pluviômetros automáticos do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), o equipamento instalado no bairro Cristo Rei, em Erechim, registrou 100 milímetros de chuva em apenas 24 horas até a manhã de ontem. Em Fontoura Xavier, a marca foi de 93 milímetros, e em Soledade, 79 milímetros. Municípios como Passo Fundo e Vacaria também tiveram acumulados acima de 50 milímetros.

A Defesa Civil Estadual informou que em Tupanci do Sul, no norte do estado, moradores de áreas de risco foram retirados de residências atingidas. Em Barra do Rio Azul, uma viatura da Brigada Militar e um veículo da Prefeitura foram arrastados pela força da enchente, e pelo menos uma residência foi destruída. “O município está dois metros abaixo d’água. Eu mesmo estou ilhado aqui. Abrimos o Ginásio Municipal, mas acredito que a maioria das pessoas vai se abrigar na residência de parentes”, relatou Mauro Serraglio, membro da Coordenadoria Municipal da Defesa Civil.

O 13º Batalhão de Polícia Militar (13º BPM) informou que a viatura estava estacionada em frente à sede da BM em Barra do Rio Azul quando foi arrastada. Nenhum policial ficou ferido, e o veículo ainda não foi localizado. As buscas estão sendo feitas com o auxílio de imagens de drone. “Recebemos informações de onde ela possa estar, mas ainda não houve a confirmação, visto a impossibilidade de chegar no local”, comunicou o 13º BPM em nota.

A situação se agravou em diversos municípios devido à rápida elevação dos rios Paloma e Azul, que cortam a região. Estradas em torno de Erechim também estão bloqueadas. Em Nonoai, persiste a situação da queda de barreira em uma via, e em Paulo Bento, houve cheias nos rios Cravo e Erechim, além de arroios afluentes, de acordo com a Defesa Civil Estadual. Lavouras de trigo, cevada e milho, que já haviam sido plantadas, foram inundadas, e aproximadamente 500 pessoas no interior do município enfrentaram transtornos com a locomoção.

Fonte: Correio do Povo

Mais em Destaques