DestaqueEconomiaGeralInternacionalNegóciosÚtimas Notícias

Com Expodireto, semana é marcada por negócios internacionais no RS

0
Foto: Divulgação
Compartilhe este post

Com a presença de pelo menos 60 países, a Expodireto Cotrijal 2024, em Não-Me-Toque, abre hoje e se estende até sexta-feira como palco de negócios e troca de conhecimentos. A maior delegação estrangeira será a da China, mas estão confirmadas representações de outras regiões da Ásia, Europa, África Ocidental e Oriente Médio.

Na área internacional, o destaque é para a China, que trará para a Expodireto Cotrijal expositores, importadores, tradings, palestrantes e membros do governo. Também, durante a feira, acontecerá o “4º Seminário China – Brasil da cadeia de suprimentos da Agricultura, Pecuária e Alimentação”. Na feira do ano passado, o evento foi realizado de forma virtual.

Segundo a Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Rio Grande do Sul (Sedec), a expressiva participação chinesa é um desdobramento da missão internacional do governo gaúcho naquele país no ano passado. Ernani Polo, titular da Sedec, antecipa que a participação do órgão no Pavilhão Internacional foi ampliada neste ano. “Teremos um espaço maior e a previsão de um número recorde de países participantes. Destaco que haverá discussões sobre o tema das energias renováveis e transformação energética, fundamental para nosso futuro e uma das prioridades da gestão do governador Eduardo Leite”, adiantou.

O diretor do Departamento de Promoção Comercial e Assuntos Internacionais (DPCI) da secretaria, Evaldo da Silva Junior, ressalta a grandiosidade da Expodireto. “É surpreendente ver que tem autoridades e convidados estrangeiros, importadores e traders que atravessam o planeta para vir a Não-Me-Toque, uma cidade do interior do Rio Grande do Sul com 16 mil habitantes que recebe nesta semana da feira 320 mil visitantes. É algo realmente fantástico”, pontua.

Também deve receber atenção esta semana, em Não-Me-Toque, a abertura de mercado da noz-pecã para a China. O Rio Grande do Sul é o maior produtor brasileiro do fruto, responsável por 70% do volume nacional. Atualmente, o Estado entrega cerca de 3 milhões de toneladas, mas pode dobrar a 6 milhões sua capacidade produtiva.

Correio do Povo

Mais em Destaque