DestaquesGeralÚtimas Notícias

Helicóptero desaparecido: veja cronologia das buscas, que chegam hoje ao 11º dia

0
Reprodução/FAB
Compartilhe este post

As buscas pelo helicóptero que desapareceu em São Paulo na véspera do Ano-Novo chegaram nesta quinta-feira (11) ao 11º dia. Ainda não há informações concretas sobre o paradeiro da aeronave, que tinha quatro ocupantes.

Participam das operações de resgate equipes da Força Aérea Brasileira (FAB), do Corpo de Bombeiros e das polícias Civil e Militar.

Mesmo com quase duas semanas de incertezas, familiares dos passageiros dizem ainda manter esperança de encontrá-los com vida.

Veja a cronologia dos fatos:
Dia 31 de dezembro
13h15:

O helicóptero Robinson R44 de prefixo PR-HDB decola do aeroporto Campo de Marte, na cidade de São Paulo, com destino a Ilhabela, no litoral norte do estado.

Pouco depois da decolagem, a comerciante Luciana Rodzewics, 46 anos, postou no Instagram da loja em que é proprietária um vídeo da aeronave decolando.

14h25

O empresário Raphael Torres, 41, que também estava no voo, envia uma mensagem de áudio ao filho dizendo que o tempo estava ruim e que a aeronave tentaria pousar em Ubatuba.

14h42

Em contato com o proprietário do heliponto onde faria o pouso, o piloto Cassiano Tete Teodoro, 44, revela que estava com dificuldades para cruzar a serra por causa do excesso de nuvens. Cassiano diz que tentaria elevar a altitude e que tentaria achar um “buraco” –jargão da aviação que significa um ponto de céu limpo.

14h49

Cassiano e o dono do heliponto se falam novamente. O piloto volta a reclamar das condições climáticas e diz que não estava conseguindo subir a camada de nuvens;

14h55

O piloto diz ao proprietário do heliponto que iria tentar voar por cima das nuvens.

15h13

O heliponto faz novo contato com a aeronave, mas não há retorno.

Horário desconhecido

Filha de Luciana, Letícia Rodzewics, 20, que também estava no voo, envia mensagem ao namorado dizendo que havia muita neblina e que o piloto tentaria voltar. Ela revela que a aeronave fez um pouso de emergência, mas não soube precisar o local exato.

22h40

O Comando de Aviação da Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros de São Paulo geraram um alerta para possível queda do helicóptero.

Dia 1º de janeiro

A Força Aérea Brasileira inicia as buscas pelo helicóptero. Um avião SC-105 Amazonas decolou de Campo Grande (MS) para o Vale do Paraíba para fazer a varredura.

A aeronave tem um radar com capacidade de alcance de até 360 quilômetros. O avião conta também com um sistema eletro-óptico de busca por imagem e por espectro infravermelho. “Isso permite realizar buscas pelo calor, permitindo detectar, por exemplo, uma aeronave encoberta pela vegetação ou uma pessoa no mar”, diz a Força Aérea.

22h14

O celular de Luciana Rodzewics, que até então estava ativo, deixa de emitir sinal.

Dia 3 de janeiro

O corpo de um homem foi localizado às margens de uma represa em Natividade da Serra, no Vale do Paraíba. Autoridades que participam das buscas suspeitaram que o cadáver pudesse ter relação com o desaparecimento do helicóptero.

Dia 4 de janeiro

A Defesa Civil e a Secretaria de Segurança Pública (SSP) de São Paulo afirmaram que não há nenhum indício de que o corpo encontrado às margens da represa em Natividade da Serra tenha relação com a aeronave que desapareceu no dia 31.

Dia 6 de janeiro

A Força Aérea Brasileira reforçou as buscas pela aeronave desaparecida. Para isso, passou a usar na operação de resgate um helicóptero Black Hawk, um equipamento militar de médio porte utilizado em missões de de busca e salvamento.

Dia 8 de janeiro

Mesmo após oito dias de buscas, o porta-voz Comando de Aviação da Polícia Militar de São Paulo, o major Cesar Augusto Silva afirmou que a corporação ainda tinha esperança de encontrar com vida as quatro pessoas que estavam a bordo do Robinson R44.

Dia 9 de janeiro

Familiares dos passageiros decidiram contratar profissionais para fazer uma busca paralela. Além disso, os parentes contam com voluntários para tentar encontrar vestígios da aeronave. A equipe é composta, basicamente por mateiros e por operadores de drones.

Dia 10 de janeiro

Buscas chegam ao décimo dia. A Polícia Civil tenta utilizar dados de localização emitidos pelos celulares dos passageiros para obter pistas.

CNN

Mais em Destaques