DestaqueSaúdeÚtimas Notícias

Mais de 80 cidades do norte gaúcho registram infestação de Aedes aegypti

0
Foto: Divulgação/Reprodução
Compartilhe este post

Pelo menos 84 municípios no norte gaúcho registram infestação de Aedes aegypti, o mosquito vetor da dengue, febre chikungunya e zika vírus. Segundo dados da Secretaria Estadual da Saúde (SES), 24 municípios da região já registraram ao menos um caso positivo de dengue em 2024, conforme atualização de quinta-feira (1°).

O número representa quase 30% das cidades do norte gaúchoFrederico Westphalen é o município com o maior número de casos confirmados (77), seguido de Iraí (64). As demais cidades têm no máximo cinco resultados positivos para dengue.

Em Iraí, as enchentes que ocorreram entre setembro e dezembro de 2023 ajudaram a alavancar o número de casos. A quantidade de água acumulada, aliada às altas temperaturas, tornaram o ambiente ideal para a proliferação do mosquito.

— Agora é só o começo do pico, devemos ter ainda mais casos até o fim do mês. Neste ano, foram 30 internações, nenhuma grave, mas é uma situação que precisamos enfrentar. Estamos com as equipes de epidemiologia nas ruas, mas é difícil a secretaria enfrentar sozinha, precisamos da colaboração da população — relata o secretário de Saúde do município, Edson Borges do Canto.

A 30 quilômetros de Iraí, o município de Frederico Westphalen encara um cenário semelhante. Também afetada pelas chuvas, a cidade prevê um aumento na curva de casos até o fim de março. Para evitar que a infestação continue, o município tem implementado ações, como mutirões de limpeza, aplicação de fumacê em áreas críticas e orientações aos bairros mais afetados, como explica a secretária municipal de saúde, Andrize Aguiar.

— O momento é de união e responsabilidade. Cada cidadão desempenha um papel vital ao seguir as orientações da Secretaria Municipal de Saúde, evitando o acúmulo de água da chuva e adotando medidas preventivas, como o uso de repelentes para evitar que ocorram novos casos no nosso município — destacou.

Vacina

O RS ficou fora da lista de Estados que vão receber as primeiras remessas da vacina contra a dengue. Serão 16 Estados e o Distrito Federal que contam com municípios que cumprem todos os requisitos para iniciar a vacinação. Inicialmente, serão crianças entre 10 e 14 anos os alvos da campanha, que começa em fevereiro.

As regiões atendidas precisam contemplar três critérios: 

  • ser formadas por municípios com mais de 100 mil habitantes
  • ter alta transmissão de dengue registrada entre 2023 e 2024
  • ter predominância do sorotipo DENV-2

O esquema vacinal é composto por duas doses, com intervalo de três meses. O imunizante da empresa Takeda está disponível na rede privada, em clínicas e farmácias, desde o início do segundo semestre do ano passado. O valor varia de acordo com o estabelecimento que comercializa o produto. Nas clínicas de Passo Fundo, cada uma das doses varia entre R$ 390 e R$ 490.

*Em Espumoso, de acordo com o Painel de Casos de Dengue RS, dois casos confirmados de dengue e um em investigação.

Confira demais municípios da região: SES/RS : Painel de casos de dengue no RS (saude.rs.gov.br)

com informações de GZH Passo Fundo

Mais em Destaque