Polícia

Mulher morta por marido policial em SP estava casada havia 6 meses

0
Compartilhe este post

A mulher de 33 anos que foi morta no domingo (3) pelo marido, um policial militar de 36 anos, estava casada com o seu assassino havia pouco mais de seis meses.

De acordo com publicações feitas na rede social da vítima, Erika Satelis Ferreira de Lima, ela se casou com o soldado Thiago Cesar de Lima no fim de maio deste ano. Em diversas oportunidades, ela postou fotos do ensaio de casamento.

Em setembro de 2022, quando já namorava com Thiago, Erika postou um texto que dizia: “Nenhum relacionamento é sobre tempo. Uma pessoa pode namorar 7 anos, casar e não dar certo, assim como uma pessoa pode namorar 6 meses, se casar e durar a vida inteira. Nunca será sobre o tempo, e sim sobre a pessoa, a conexão, o respeito e a forma como a relação é construída.”

Em agosto do ano passado, ela postou fotos tiradas em uma academia de ginástica e marcou o policial. “Constância/disciplina e dedicação. Obrigada, amor, Thiago Cesar, pela parceria.”

No perfil de Thiago, ele também postava fotos com declarações à mulher. Em 8 de junho, publicou uma foto beijando a mão de Erika, que comentou: “Você é minha alegria diária.”

O caso

Thiago foi preso após matar a esposa durante uma discussão que teve início dentro do carro. A vítima chegou a ser levada ao hospital pelo próprio autor dos disparos, porém não resistiu aos ferimentos. O caso ocorreu em Perus, na zona norte.

Ele relatou à polícia que estava com a mulher dentro de um carro quando começaram a discutir e, então, efetuou os disparos.

O caso foi registrado como feminicídio na 4ª Delegacia De Defesa Da Mulher e o soldado foi encaminhado ao Presídio Militar da Romão Gomes. A arma usada no crime foi apreendida.

Câmeras de segurança registraram a ação. Nas imagens, é possível ver o momento que Erika abre a porta do motorista, desce e vai até a porta traseira do lado contrário. No banco de trás está o soldado Thiago, que estava de folga.

A mulher começa a tentar tirá-lo a força do carro, mas não consegue. Segundos depois, ele sai do carro e começa a agredi-la. O policial dá uma série de socos no rosto de Erika, e efetua pelo menos dois disparos contra ela. A mulher cambaleia e cai no chão.

O soldado entra no carro e dá meia volta com o veículo, mas para novamente e começa a tentar arrastar a vítima até o veículo. Nesse momento, moradores saem das suas casas e acompanham a ação.

 

 

Mais em Polícia