GeralRegião

Presídio feminino de Passo Fundo: governador determina prazo para que prefeito carazinhense apresente propostas

0
Compartilhe este post

O futuro do presídio feminino estadual previsto para Passo Fundo foi tema de uma grande reunião intermediada pelo deputado Clair Kuhn (MDB)  no Palácio Piratini. O encontro contou com a presença do governador Eduardo Leite, dos secretários Artur Lemos (Casa Civil) e Mauro Hauschild (Justiça, Sistema Penal e Socioeducativo); do prefeito de Carazinho Milton Schmitz; além de deputados e lideranças.

A casa prisional está projetada para ser erguida às margens da BR-285, na divisa com Passo Fundo. A estrutura terá capacidade para 286 lugares e contará com investimentos de R$ 8 milhões do governo federal e R$ 8 milhões de contrapartida do Estado, que fornecerá os equipamentos para o prédio e cederá os cerca de 50 servidores.

No entanto, representantes de diversos setores da sociedade carazinhense se mostram contrários à construção. Entre os fatores estão riscos de danos ambientais, gerado pela proximidade com o manancial hídrico que abastece a cidade, e o custo operacional elevado, já que as equipes que atenderão o presídio ficarão distantes de Passo Fundo.

O deputado Clair destacou no encontro que compreende e é solidário à preocupação do poder público e da comunidade carazinhense quanto à construção da casa prisional, pois o local fica a 40 Km de Passo Fundo e apenas 5 Km de Carazinho. Por isso, reforçou a importância de o governo rever o lugar para a instalação.

A sugestão do prefeito Schmitz é incluir a nova estrutura em uma área para onde futuramente possa ser transferido o atual presídio de Carazinho. “Sabemos que novas casas prisionais são necessárias e seria mais vantajoso termos no mesmo local tanto a feminina quanto a masculina, tanto do ponto de vista logístico quanto de segurança”, disse.

O secretário Hauschild explicou que o processo licitatório para a construção do presídio já está no estágio final e há risco de perder os recursos federais caso o contrato não seja oficializado a tempo. Diante disso, o deputado Clair solicitou um prazo limite para que seja encontrada uma solução para a questão.

O governador Leite determinou então que o prefeito apresente, em até 20 dias, informações e outras alternativas de áreas para a instalação da cadeia pública. Além disso, também designou que o secretário de Justiça e Sistemas Penal e Socioeducativo, Mauro Hauschild, faça visitas técnicas em Carazinho nos possíveis locais disponíveis. Ao mesmo tempo, serão contatadas as instituições jurídicas e penais envolvidas.

“Agendei esta reunião no Palácio Piratini, acompanharei o secretário nas visitas técnicas em Carazinho e seguirei ao lado da comunidade de Carazinho, que precisa de um local adequado para a construção do presídio feminino”, informou o deputado Clair.

Luta antiga
Desde que assumiu a cadeira na Assembleia Legislativa, a questão que envolve o novo presídio feminino estadual da Região Planalto tem sido uma das principais demandas do deputado Clair Kuhn. Em 13 de julho, o parlamentar entregou ao governador Eduardo Leite um documento com as reivindicações das lideranças contrárias à instalação da casa prisional no local onde está prevista.

O documento foi encaminhado ao deputado pelo prefeito Milton Schmitz e representantes de diferentes setores de Carazinho. Na sequência, ele garantiu o agendamento da reunião que ocorreu nesta terça-feira entre o governador Leite e lideranças.

Também participaram da reunião; deputados Mateus Wesp, Eric Lins e Juliana Brizola; presidente da Associação de Municípios do Planalto (Ampla), Iura Kurtz; presidente do Hospital Comunitário de Carazinho, Jocélio Cunha; presidente da Cotrijal, Nei Manica; presidente Acic Carazinho, Cassiano Bailat; presidente da Acisa Passo Fundo, Cássio Roberto Gonçalves, entre outros.
*Planalto News

Mais em Geral