GeralRegião

Roubos de veículos no RS tem redução de 27,1% em setembro

0
Compartilhe este post

O roubo de veículos teve uma nova redução em setembro no Rio Grande do Sul. A queda foi de 27,1%, caindo de 501 ocorrências no mesmo período de 2020 para 365 no mês passado. No acumulado desde janeiro, a redução é ainda maior: de 43,2%. Houve 6.540 casos em 2020 e baixaram para 3.713 em 2021 no comparativo. Os dados integram os indicadores criminais divulgados pela Secretaria da Segurança Pública (SSP).

“Mês após mês aprofundamos a queda nos roubos de veículos, crime que impacta diretamente o cidadão, com trabalho de inteligência, integração das forças na troca de informações e investimento em tecnologia especializada. É o retrato do nosso objetivo com o RS Seguro, em proporcionar um Estado melhor para se viver”, declarou o vice-governador e secretário estadual da Secretaria da Secretaria Pública, delegado Ranolfo Vieira Júnior.

Porto Alegre teve queda de 54% nas ocorrências

Porto Alegre foi responsável por mais da metade da retração dos roubos de veículos verificada em setembro em todo o RS, contribuindo com a diminuição em 54%. Em setembro de 2020 foram 221 ocorrências contra 137 do mês passado, representando uma queda de 35,1%.

No acumulado desde janeiro na Capital, a queda foi ainda maior, ficando em 48,1%. Um total de 2.770  veículos foram roubados em 2020, enquanto 1.437 ocorreram neste ano.

Na contramão, homicídios aumentam em Porto Alegre

Na direção oposta, os homicídios subiram 12,6% em setembro em relação ao mesmo mês do ano passado no Rio Grande do Sul. Houve 111 casos em 2020 e agora passou para 125 ocorrências. Desde janeiro, porém, a queda foi de 14,9%, reduzindo de 1.377 vítimas para 1.172 no comparativo.

A diretora do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), delegada Vanessa Pitrez, fez uma constatação.  “Percebemos uma ampliação, especialmente no Interior, mas em medida também significativa na Região Metropolitana, dos homicídios que classificamos como ‘fatos da vida’, aqueles com algum componente emocional, resultantes de uma briga, uma desavença anterior ou mesmo um desentendimento episódico que acaba terminando em morte”, explicou.

“A ação preventiva nesse tipo de crime fica praticamente impossibilitada, diferentemente das estratégias que traçamos, por meio do RS Seguro, para antecipar movimentos relacionados a conflitos do tráfico e outros delitos. De qualquer forma, seguimos com empenho total nas investigações de todos esses fatos e temos excelentes resultados. Nossa média gira em torno de 70% de elucidação, o que retira das ruas homicidas potenciais e, sem dúvida, têm impacto para a redução que alcançamos no cenário acumulado”, acrescentou.

Em Porto Alegre, o cenário é similar ao do RS, com alta pontual em setembro, sem alterar o quadro de redução no acumulado. A Capital teve 16 vítimas no mês passado, ao passo que o mesmo período de 2020 ficou em 13, um aumento de 23,1%. Já na soma desde janeiro, os assassinatos baixaram de 218 para 195, significando queda de 10,6%.

Casos de feminicídios mantêm estabilidade

Após dois meses em alta, o número de mulheres assassinadas em razão do gênero no RS encerrou setembro em estabilidade. Houve cinco vítimas de feminicídio no Estado, repetindo a marca de 2020. Desde janeiro, a soma de vítimas no período subiu de 62 em 2020 para 78 neste ano, uma alta de 26%.

*Correio do Povo

Mais em Geral