AgriculturaGeralRegião

Safra de inverno termina com recorde na produção de trigo

0
Compartilhe este post

A safra gaúcha de inverno apresentou crescimento nas quatro principais culturas da estação em 2021, com recorde na produção de trigo. A estimativa final do desempenho dos cultivos foi divulgada nesta segunda-feira, pela Emater, com incremento também na produção de canola, cevada e aveia branca. Embora a área plantada tenha crescido em relação à última safra, os números foram influenciados principalmente pelo aumento de produtividade.

Ana Lanches

Principal cultura de inverno, o trigo teve um aumento de área plantada de 23,4%, chegando a 1,117 milhão de hectares. A produção é calculada em 3,406 milhões de toneladas, o que representa uma alta de 61,8% em relação ao ciclo 2020. Até então, o recorde da série histórica pertencia à safra 2014. A produtividade das lavouras gaúchas teve um incremento de 30,7%, com 2,8 mil quilos por hectare.

O cultivo da canola obteve crescimento de 58,3% em produção, alcançando 53,5 mil toneladas, com destaque para as regiões de Santa Rosa e Ijuí. O desempenho foi puxado pela alta na produtividade, que cresceu 45,9%, chegando a 1,4 mil quilos por hectare. A área ficou em 37,6 mil hectares, um acréscimo de 8,5% em relação a 2020.

Na cevada, o crescimento na produção foi de 37,6%, totalizando 128 mil toneladas. Os maiores volumes foram colhidos nas regiões de Erechim, Frederico Westphalen e Passo Fundo. A produtividade também aumentou, em 29,4%, enquanto a área plantada cresceu 6,3%.

No caso da aveia branca, o aumento na produção chegou a 34,4%, com um total de 819 mil toneladas. A produtividade cresceu 27,5%, e a área, 5,2%. As regiões de Passo Fundo e Santa Rosa tiveram as maiores produções do Estado.

Segundo o diretor técnico da Emater, Alencar Rugeri, os números foram influenciados pela boa rentabilidade obtida pelo produtor gaúcho na última safra de verão. “Com isso, ele conseguiu se planejar: fez a gestão econômica e visualizou nas culturas de inverno essa possibilidade de ampliar recursos”, observa. Já as climáticas foram favoráveis, embora não tenham sido ideais, com um inverno seco, mas frio.

Correio do Povo

Mais em Agricultura