DestaquesGeralPaís

Santa Catarina em Alerta: Chuvas intensas persistem e já causam mortes na região

0
Santa Catarina - Força-tarefa do governo federal, coordenada pelo ministro da Integração e do Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, visita municípios de Santa Catarina atingidos pelas fortes chuvas. Foto: Dênio Simões/MIDR
Compartilhe este post

A Defesa Civil de Santa Catarina continua em estado de alerta diante da persistência das chuvas intensas que assolam o estado. Desde o início de outubro, quatro vidas foram perdidas em decorrência das fortes precipitações que afetam a região.

Nesta segunda-feira, a previsão é de mais temporais atingindo especialmente o Grande Oeste de Santa Catarina. O alerta se estende para todo o estado, com possibilidade de quedas de galhos e árvores, destelhamentos e danos à rede elétrica. Na terça-feira, a condição de chuvas intensas se estenderá ao Planalto Norte, aumentando os riscos.

Frederico Rudorff, coordenador de monitoramento e alerta da Defesa Civil, enfatiza a necessidade de precaução: “Muita atenção para risco de temporais com quedas de granizo, vendavais, chuvas intensas e também para riscos de enxurradas, alagamentos, deslizamentos. O solo está muito encharcado, em virtude das chuvas dos últimos dias e também para riscos de inundações graduais.”

No sábado (14), o corpo de Maicon Moraes Agostinho, de 29 anos, foi encontrado. Ele estava desaparecido em Campo Belo do Sul desde o dia 7, após ser arrastado pela enxurrada ao tentar atravessar uma ponte submersa montado a cavalo.

Além de Maicon, a Defesa Civil já havia confirmado as mortes de Paulo Torinelli, de 65 anos; Olívia Berto, de 75 anos; e Rodrigo Farias, de 42 anos. Um quinto óbito está sob análise para confirmação de relação com as chuvas.

O coronel Fabiano de Souza, comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina, destaca a importância da prevenção: “Os incidentes que tivemos durante todos esses eventos em Santa Catarina poderiam ser evitados, bastava um pouco mais de cuidado. Não atravessem em pontes, não atravessem em áreas alagadas. Você não consegue ver onde está pisando, você não consegue identificar a vazão dos rios e das águas.”

Até o momento, 144 municípios registraram ocorrências causadas pelos temporais, sendo que 126 já decretaram situação de emergência. As equipes de resgate, segurança pública e assistência social, tanto municipais quanto estaduais, estão trabalhando em conjunto para auxiliar os municípios mais afetados.

No Vale do Itajaí, uma das comportas da Barragem Norte em José Boiteux foi aberta no domingo (15) devido ao volume máximo, representando risco de cheias para o Médio Vale. Indígenas das Terras Indígenas Ibirama-LaKlanõ temiam inundação e medidas foram tomadas para garantir a segurança.

Estudos técnicos indicam que a abertura de uma única comporta já reduzirá “até dois metros nas enchentes dos municípios às margens do rio Itajaí-Açu.” O Ministério dos Povos Indígenas também anunciou a liberação de R$ 1,2 milhão para ajuda humanitária e emergencial aos povos atingidos pelas chuvas. Medidas estão sendo implementadas para garantir a segurança dos povos que vivem na região. Foi solicitado à Defesa Civil um laudo imediato sobre a segurança após o fechamento das comportas da Barragem Norte.

Fonte: Agência Brasil

Mais em Destaques