DestaqueGeral

Selbach confirma o primeiro caso de dengue em 2016 e deixa a região em alerta

0
Compartilhe este post

[vc_row][vc_column width=”1/1″][vc_column_text]

A secretaria municipal de saúde de Selbach confirmou na manhã desta quarta-feira, 10, o primeiro caso de dengue do município. A cidade é a primeira da região a confirmar a doença.

Segundo o fiscal da Vigilância Sanitária do município, Rogelson da Silva, o caso é importado, ou seja, foi adquirido em outro estado do Brasil. Selbach ainda tem outros nove casos suspeitos que estão sendo monitorados.

Com a confirmação do caso, a região fica em alerta para evitar a proliferação da doença, já que praticamente todos os municípios estão dentro da lista de infestação do Aedes Aegypti.

Saiba mais sobre o Aedes Aegypti

A transmissão da dengue, da febre chikungunya e do vírus zika ocorre pela picada de mosquito Aedes aegypti. Ele tem em média menos de 1 centímetro de tamanho, é escuro e com riscos brancos nas patas, cabeça e corpo. O Aedes costuma ter sua circulação intensificada no verão, em virtude da combinação da temperatura mais quente com chuvas. Para se reproduzir, ele precisa de locais com água parada. Por isso, o cuidado para evitar a sua proliferação busca eliminar esses possíveis criadouros, impedindo o nascimento do mosquito.

Medidas de prevenção

Atualmente o Rio Grande do Sul apresenta 174 municípios considerados infestados pelo Aedes aegypti. No combate ao inseto, a população pode adotar alguns cuidados simples em suas casas e pátios, com o objetivo de diminuir e evitar potenciais recipientes para o desenvolvimento das larvas do mosquito. Deve-se, principalmente, evitar o acúmulo de água parada, que é onde o vetor se reproduzir.

Recomendações

– Tampar caixas d’água, tonéis e latões,

– Guardar garrafas vazias viradas para baixo,

– Guardar pneus sob abrigos,

– Não acumular água nos pratos de vasos de plantas e enchê-los com areia,

– Manter desentupidos ralos, canos, calhas, toldos e marquises,

– Manter lixeiras fechadas e

– Manter piscinas tratadas o ano inteiro.

[/vc_column_text][/vc_column][/vc_row]

Mais em Destaque