DestaquesGeralRegiãoSaúde

Três regiões têm piora nos indicadores e passam para bandeira laranja no RS

0
Compartilhe este post

Estado se mantém sem nenhuma região nas classificações de risco vermelha ou preta

Na atualização do sistema das regras de distanciamento controlado no Rio Grande do Sul, neste sábado (6), três regiões que estavam com bandeira amarela (risco baixo) passaram para laranja (risco médio): Ijuí, Santa Rosa e Santa Cruz do Sul. Nesta rodada, apenas a região de Pelotas apresentou melhora, reduzindo o grau de laranja para amarelo no combate à pandemia de coronavírus.

A laranja é uma classificação de risco médio e permite que o comércio e a indústria, entre outros setores da economia, permaneçam abertos. A única mudança em relação à amarela é a observação de uma menor capacidade de atendimento de clientes em alguns setores específicos.

A nova rodada foi divulgada às 17h40min de sábado, 06, dia da semana em que o governo costuma anunciar as reavaliações. Esta classificação passa a valer a partir desta segunda-feira, 08, até o próximo domingo. Os protocolos obrigatórios, como uso de máscaras em locais públicos, devem ser respeitados em todas as bandeiras. Além disso, cada setor econômico tem critérios específicos que variam de acordo com a bandeira.

Dividido em 20 regiões, o Estado atualmente tem predominância da bandeira laranja, com 16 zonas nesta faixa. As outras quatro estão em amarelo — Bagé, Cachoeira do Sul, Pelotas e Taquara. Nenhuma área do Rio Grande do Sul está nas classificações mais graves, vermelha (risco alto) e preta (risco altíssimo), as quais causam fechamento de setores econômicos, sobretudo o comércio, e reduzem a circulação de pessoas.

A região de Pelotas, composta por 22 municípios, não apresentou nenhuma bandeira vermelha ou preta nos 11 indicadores considerados no cálculo, que envolvem propagação do vírus e capacidade de atendimento de saúde. A predominância de bandeiras amarelas levou à cor final da bandeira para a região.

Já a Santa Cruz do Sul mudou para risco médio devido ao aumento no número de novas hospitalizações, saindo de três para oito nos últimos 15 dias, e de uma variação do número de leitos de UTI disponíveis para atender covid-19 na macrorregião, reduzindo de 57 para 39. Segundo a presidente da OAB-Seccional Santa Cruz do Sul e integrante do Comitê de Emergência de Combate à Pandemia na cidade, Rosemari Hofmeister, já era esperado um possível retrocesso na bandeira devido ao período onde as síndromes gripais são mais acentuadas. Por considerar um momento de excepcionalidade, o município manteve, mesmo durante o período de bandeira amarela, um decreto próprio com regras próximas às determinadas pela bandeira laranja.

 — Observamos que as pessoas interpretaram a bandeira amarela como uma normalidade. E, por isso, a prefeitura não flexibilizou as regras. Não liberamos, por exemplo, o buffet servido, e o transporte coletivo segue com apenas 50% da lotação. Vamos reforçar ainda mais com a população os protocolos de higiene —  explicou. 

A região Santa Rosa somou sete novas internações nos últimos 14 dias, ultrapassando o limite de cinco novas hospitalizações e previsto no modelo para se manter na bandeira amarela. Por isso, seus 22 municípios passam para a cor laranja. O prefeito de Santa Rosa, Alcides Vicini (PP), demonstrou surpresa com a alteração na bandeira da região e afirmou que pretende reunir a equipe do comitê de combate à covid-19 na cidade para analisar as possíveis mudanças:

—  Temos recebido pacientes de outras regiões e isso pode ter impactado nesta avaliação. Mas vamos nos reunir para ver o que precisamos alterar. Estamos com um trabalho muito consciente e responsável, tentando fazer o máximo de controle porque a meta é preservar a saúde de todos. 

A situação na região de Ijuí se agravou na última semana em cinco pontos que são medidos pelo modelo: variação do número de novas hospitalizações por covid-19, passando de um na semana anterior para cinco nesta semana, a razão entre casos ativos e recuperados, aumento de novas hospitalizações, aumento na incidência de novos óbitos no comparativo com a população e redução nos leitos de UTI disponíveis para atender pacientes com covid-19. 

Segundo o secretário de Saúde de Ijuí, Marco Antonio Atkinson, a troca de bandeira foi influenciada por um óbito ocorrido em um município vizinho — Ijuí ainda não registrou mortes em decorrência de covid-19. Ele diz que a situação melhorou desde sexta-feira, com a alta de pacientes antes internados, e que um comitê se reúne a cada semana para avaliar a situação e determinar medidas de distanciamento social. 

—Em que pese a alteração da bandeira, melhoramos nossos índices. Dentro do possível , estamos com a situação sob controle — disse. 

De acordo com a atualização do mapa de distanciamento controlado, o número de óbitos por covid-19 aumentou 55,6% entre as duas últimas semanas, de 36 para 56 mortes, e as regiões com maior número de novos registros de hospitalizações nos últimos sete dias, por local de residência do paciente, foram Porto Alegre (58), Passo Fundo (25), Caxias do Sul (23), Lajeado (19) e Novo Hamburgo (19). 

*GauchaZH

Mais em Destaques