CidadeGeralRegião

Experiência e dinamismo marcam os 50 anos de Vérdi Ubiratan no rádio

0
Compartilhe este post

Desde de muito jovem Vérdi Ubiratan de Moura nutre grande paixão pelo rádio. Com uma bagagem de conhecimento e atuação em diferentes meios de comunicação, Vérdi é conhecido como um dos mais experientes comunicadores de Soledade e região.

Com 50 anos de atividades no rádio, comemorado no dia 1º de novembro, ele ingressou neste ramo com 18 anos e segue até hoje levando informações aos ouvintes da Rádio Soledade, emissora que atua atualmente.

“Iniciei no rádio em 1970, através de um concurso para locutor no Programa Roda Viva, apresentado pelo radialista e ex-prefeito de Carazinho, Aylton Magalhães. Era um programa com jurados e auditório, onde três candidatos estariam classificados e eu fiquei em segundo lugar”, conta.

No início, Vérdi começou atuando como operador, tendo pequenas participações no microfone, reportagens e logo iniciou com vendas. “Nessa época, entendi que o tempo do ‘vozerão’ e artista de rádio já havia passado e sobrevivem aqueles que vendem seus programas. Hoje, isso é realidade, pois até nas grandes emissoras é somente locutor e artista, não tem mais espaço”, salienta o radialista.

“Além de repórter, atuei como animador de programas e plantão de estúdio nas jornadas esportivas da Equipe Revelação da Rádio Carazinho, onde fiquei até 1980, quando fui convidado pelo proprietário da época, Alfredo Cavalli, para gerenciar a Rádio Planetário, uma emissora com 1 kilowatt apenas e que abrangia somente a cidade, ou seja, uma empresa nova, com um ano de idade”, destacou.

Acompanhando a evolução dos meios de comunicação e as formas de divulgação das informações, Vérdi vivenciou 50% da existência do rádio, que completa 100 anos. “Este veiculo de comunicação está sempre se renovando, mesmo com o advento da internet e sua instantaneidade, o rádio permanece vivo. Ouço pessoas dizendo que deveriam terminar com a Globo, uma das melhores tvs do mundo. Um país só é livre quando tem uma imprensa forte e a comunicação está cada vez mais presencial e interativa. Este é o caminho”, ressaltou Ubiratan.

Vérdi já teve atuação como empregado em dois veículos, Rádio Carazinho e Planetário. “Depois, me tornei empresário de comunicação, onde atuei na Rádio Missioneira de São Luiz Gonzaga, Rádio Líder e Rádio Soledade. Além disso, ajudei implantar a Rádio Geração no Salto do Jacuí, em que adquirimos com Remo Faccioni a Rádio Studio Dois de Tapera e com Cleber e Tanisa de Moura a Magia de Não Me Toque”, acrescenta o comunicador.

“Faz muitos anos que entendi que o rádio é formador e informador da opinião pública. Os profissionais devem ter cuidado não se achar e deixar subir para a cabeça. Poucos na imprensa conseguem emitir opinião, essa é uma carência. Acordo todos os dias as 4h da manhã, gosto do que faço e ajudo as comunidades onde atuo”, pontuou.

*Informativo Regional

Mais em Cidade