GeralSaúdeÚtimas Notícias

Faustão passa por ‘tratamento mais potente’ e corpo deixa de rejeitar rim doado, diz esposa

0
Foto: Arquivo
Compartilhe este post

O apresentador Fausto Silva, o Faustão, que passou por um transplante de rim no dia 26 de fevereiro, passou por um “tratamento mais potente” e seu corpo deixou de rejeitar o órgão doado, contou a esposa dele, Luciana Cardoso, em publicação no Instagram nesta sexta-feira (5).

Ele estava sendo submetido a sessões de hemodiálise e aguardava adaptação do órgão e recuperação da função renal, de acordo com boletim médico do Hospital Albert Einstein divulgado no dia 22 de março.

“Há 3 semanas, tivemos a notícia de que seu corpo não estava aceitando o novo órgão. Então, um tratamento mais potente foi iniciado e há 2 dias tivemos a feliz resposta que aguardávamos: a rejeição foi vencida”, escreveu Luciana.

A mulher do apresentador disse que ele tem “lutado bravamente para se manter bem, com energia e disposição para colaborar com sua recuperação”.

“A partir de agora, nossa expectativa é que o tempo traga o reequilíbrio necessário para que todo o organismo volte a funcionar em harmonia”, completou ela.

Gratidão a doadores de órgãos

Luciana afirmou que o período de internação não foi fácil e agradeceu às pessoas que decidem ser doadoras de órgãos:

“Não foram tempos fáceis. Mais uma vez, aceitamos as provações que a vida nos dá como aprendizados que servem para fortalecer ainda mais a fé, a união familiar e a gratidão àqueles que, no momento mais difícil, tem a generosidade de dizer SIM e permitir que outras pessoas permaneçam vivas por mais tempo através da doação de órgãos”.

“A luta ainda não acabou, mas já é possível visualizar a linha de chegada dessa maratona. Obrigada por tantas mensagens de carinho e incentivo. Obrigada aos médicos, aos enfermeiros, a toda equipe envolvida e todas as famílias doadoras. Obrigada, Deus!”, disse Luciana.

Sessões de hemodiálise

Em março, Faustão teve de fazer uma embolização, procedimento cirúrgico em que o fornecimento de sangue é interrompido propositalmente em uma parte do corpo.

Segundo a assessoria de imprensa da família, “o processo de embolização foi feito para resolver questões linfáticas que estavam atrasando sua recuperação”.

G1

Mais em Geral