CulturaDestaque

Luto no mundo do funk: MC Marcinho, ícone do funk brasileiro, falece aos 45 anos

0
Compartilhe este post

O cenário do funk brasileiro sofreu uma perda irreparável neste sábado, 26 de agosto, com o falecimento de MC Marcinho, aos 45 anos de idade. Reconhecido como um dos expoentes do funk melody, o cantor estava internado no Rio de Janeiro há quase dois meses, lutando contra uma combinação de insuficiência cardíaca e renal.

A triste notícia foi oficializada pelo Hospital Copa D’Or, onde Marcinho estava sendo tratado. O comunicado do hospital expressou pesar: “Hospital Copa D’Or confirma com pesar a morte da paciente Marcio André Nepomuceno Garcia na manhã deste sábado (26), às 9h10, em decorrência da falência múltipla de órgãos. O hospital se solidariza com a família e amigos por essa irreparável perda.”

A saúde de Marcinho havia enfrentado complicações nos últimos dias, culminando em uma infecção generalizada. Familiares, amigos e colegas artistas haviam iniciado uma campanha de doação de sangue para auxiliar em seu tratamento.

Em 10 de julho, o cantor havia sido intubado após sofrer uma parada cardíaca, sendo posteriormente submetido a um coração artificial em 13 de julho. No entanto, seu estado de saúde continuou instável. No dia 8 de agosto, o Hospital Copa D’Or informou que Marcinho permanecia em estado estável, porém necessitava de cuidados intensivos. Infelizmente, em 22 de agosto, houve uma piora significativa, com o surgimento de uma infecção generalizada.

MC Marcinho, cujo nome verdadeiro era Marcio André Nepomuceno Garcia, deixa para trás uma carreira notável no mundo do funk. Nascido em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, o artista conquistou fãs e marcou a cena com sucessos icônicos como “Glamurosa”, “Rap do Solitário”, “Porque Te Amo”, “Escrito pras Princesas” e “Garota Nota 100”.

Casado com Kelly Garcia, MC Marcinho deixa um legado indelével no universo musical e uma marca inegável no coração de seus fãs. Sua partida deixa um vazio na cena do funk, mas sua música continuará ecoando como uma lembrança eterna de seu talento e contribuição para a cultura brasileira.

Com informações: Clic Espumoso

Mais em Cultura